A AVALIAÇÃO DA RESILIÊNCIA E OS FATORES DE VULNERABILIDADE NAS MÃES DE CRIANÇAS SURDAS

  • Bruna Setin Januário
  • Maria Geralda Viana Heleno
  • Miria Benincasa Gomes

Resumo

É amplamente conhecido que a maternidade implica em uma série de mudanças, tanto físicas como sociais e emocionais, que podem ser potencializadas se tratando da gestação de uma criança surda. Tendo em vista esse pressuposto, a resiliência materna possui um papel fundamental nessa experiência. O presente estudo tem como objetivo, pela metodologia qualitativa, identificar os fatores que estão ligados à resiliência materna e às suas vulnerabilidades nas mães de crianças surdas de até 10 anos. Como resultado principal deste estudo, notou-se a relação entre os sentimentos tidos como negativos e bons níveis de resiliência. Em relação à vulnerabilidade, identificou-se três fatores negativos: a renda familiar não proporcional ao nível de escolaridade das mães, a ausência de atendimento emocional, principalmente no momento do diagnóstico e a restrição no acesso às informações importantes sobre a deficiência dos filhos por parte dos profissionais de saúde. Por fim, ressalta-se tanto o afastamento do poder público – com a ausência de programas de proteção social a essas famílias – quanto a ausência de estudos sobre essa maternidade. Vê-se, assim, a necessidade de realização de outras pesquisas tanto de caráter quantitativo, com amostras maiores, quanto de caráter qualitativo, que possam fortalecer as hipóteses, bem como fomentar novas ações de cuidado com essa população.

Publicado
2021-08-04