Apae Ciência http://apaeciencia.org.br/index.php/revista <p>A Apae Ciência é uma publicação totalmente on-line, editada pela <a href="http://www.apaebrasil.org.br/" target="_blank">Federação Nacional das Apaes</a> abrangendo áreas temáticas ligadas a inclusão social da população em situação de deficiência, com foco na pessoa com deficiência intelectual e múltipla, em áreas como assistência social, ciências da educação e da saúde.</p> Federação Nacional das Apaes pt-BR Apae Ciência 2237-4329 <p>A revista se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, respeitando, porém, o estilo dos autores. As provas finais não serão enviadas aos autores.</p> <p>Os trabalhos publicados passam a ser propriedade da revista <em>Apae Ciência</em>.</p> <p>As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.</p><p> </p><p> </p><p> </p> Editorial http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/108 Natália Soares de Carvalho ##submission.copyrightStatement## 2018-01-02 2018-01-02 8 2 O GÊNERO TEXTUAL BILHETE COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E DA ESCRITA DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: UMA EXPERIÊNCIA NA APAE BELÉM http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/102 <p><strong>RESUMO</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p>O “Programa de Atenção à Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla – Jovens e Adultos” da APAE Belém visa a despertar no aluno o interesse pela leitura e produção de textos tomando como instrumento o gênero textual Bilhete de forma funcional para o cotidiano. Na metodologia utilizou-se o conceito de Sequência didática. Notou-se a importância do ensino pautado no uso dos gêneros textuais para promover a inclusão dos indivíduos com deficiência intelectual.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Palavras-Chave</strong>: Gênero Textual. Atendimento Educacional Especializado. Inclusão.</p> Bruna Fernanda Texeira de Souza ##submission.copyrightStatement## 2018-01-02 2018-01-02 8 2 A IMPORTÂNCIA DO PIPA - PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PRECOCE AVANÇADO NO DESENVOLVIMENTO DO NEONATO DE RISCO http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/103 <p><strong>RESUMO</strong>:O presente trabalho registra considerações e resultados sobre o Programa de Intervenção Precoce Avançado (PIPA) que foi instituído pelo Governo de Minas Gerais, implantado e desenvolvido por profissionais de fonoaudiologia e fisioterapia, com o objetivo de antecipar a procura pelo serviço junto ao setor de intervenção precoce para neonatos, de modo a minimizar ou sanar as possíveis sequelas advindas da UTI. Foi firmada parceria entre APAE e&nbsp; a Santa Casa, ambos de Barbacena para que os neonatos de risco fossem encaminhados automaticamente ao PIPA, passando pelo serviço de uma equipe multidisciplinar. A avaliação é realizada com base no desenvolvimento neuropsicomotor da criança e foi desenvolvida pelas autoras do projeto. A abordagem é feita por monitoramento e intervenção semanal. Observa-se que, quando as famílias são devidamente orientadas desde o início da vida de seus filhos, tornam-se mais seguras e lidam de maneira mais adequada nas atividades do cotidiano, o que resulta em uma estimulação mais eficiente que proporciona um bom desenvolvimento neuropsicomotor da criança.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>PALAVRAS – CHAVE: </strong>Prematuridade. Prevenção. Intervenção Precoce. Desenvolvimento.</p> Dirlane Maria Rodrigues Acerbi ##submission.copyrightStatement## 2018-01-02 2018-01-02 8 2 BENEFÍCIOS DA REALIDADE VIRTUAL PARA APRENDIZAGEM MOTORA EM INDIVÍDUOS COM AUTISMO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/104 <p><strong>RESUMO</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p>Este estudo analisou artigos científicos que utilizaram a realidade virtual para beneficiar e melhorar a capacidade de aprendizagem motora em indivíduos com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Esta revisão sistemática foi direcionada pelas bases de dados <em>Web of Science, Science Direct, PubMed. </em>A partir das combinações das palavras TITLE-ABSTRACT-KEY (“virtual reality”) and TITLE-ABSTRACT-KEY (“<em>autism</em>”), seis artigos foram selecionados para pesquisa. Os itens investigados nos artigos de pesquisa de campo foram: número da amostra, objetivo do estudo, equipamento utilizado e resultado do estudo. Nos artigos de revisão foram analisadas as seguintes categorias: objetivo do estudo, equipamento utilizado e resultado do estudo. Os artigos que compuseram a síntese relatam eficácia na reabilitação motora. Foram identificados temas que apresentaram resultados positivos para pessoas com comprometimento nas habilidades visuais (n=1), Tecnologia que favorecem a reabilitação de pessoas com TEA e que apresentam comprometimento motor (n=1) a interação (n=1), motivação para a atividade física (n=1) e capacidade de imitação (2). A revisão mostra que a realidade virtual pode ser utilizada como ferramenta importante na reabilitação de pessoas com Autismo.</p> Maely Pedrosa Pimentel ##submission.copyrightStatement## 2018-01-02 2018-01-02 8 2 Mães Que Cantam: a canção na relação de ajuda para mães de bebês do CER III Intelectual da APAE Anápolis – transdisciplinaridade entre Musicoterapia e Psicologia http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/105 <p>O Projeto Mães Que Cantam, realizado no Centro Especializado de Reabilitação (CER III) da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais-Anápolis, por meio do trabalho transdisciplinar – Musicoterapia e Psicologia -, tem como objetivo promover acolhimento, fortalecer vínculo e trabalhar ansiedade das mães de bebês em atendimento na unidade. O trabalho propõe a vivência das experiências musicais na Musicoterapia permitindo à mãe re(criar), compor canções para abrir canais de comunicação e expressar seus conteúdos internos e, ao mesmo tempo, receber apoio psicológico numa parceria para construção dessa relação de ajuda. Como resultado, observou-se que a troca colaborativa, na prática, auxiliou o acolhimento e a mudança dos aspectos emocionais, culturais e sociais os participantes.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-Chave:</strong> Mães Que Cantam. Musicoterapia. Psicologia.</p> Glaucia Tomaz Marques Pereira Paulyane Cristine da Silva Oliveira ##submission.copyrightStatement## 2018-01-02 2018-01-02 8 2 AFETIVIDADE E SEXUALIDADE DA PESSOASCOM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/106 <p><strong>RESUMO</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>Com o presente trabalho objetivamos levantar dados referentes às concepções de afetividade e a sexualidade da pessoa com deficiência intelectual e analisar as possíveis dificuldades para a implementação de programas de orientação sexual na escola de educação especial Irmão Getúlio APAE, do municipío de Vacaria-RS. Falar sobre sexo, namoro, gravidez, entre outras discussões que envolvem o assunto sexualidade, é uma dificuldade enfrentada por boa parte das famílias e profissionais da educação, que ainda encaram esse tema como um grande tabu, mesmo nos dias atuais. Objetivando investigar as concepções dos pais de jovens com Deficiência Intelectual sobre sexualidade e os profissionais que trabalham diretamente com esses adolescentes, foram aplicados questionários a 14 profissionais e 12 pais. Analisando os questionários, percebeu-se que todos os profissionais se apresentaram a favor de um programa de orientação sexual na escola e dos 12 pais, apenas 3 são contra a ideia de se abordar o assunto sexualidade no âmbito escolar. A respeito de pessoas com deficiência intelectual, o diálogo deveria ser incessantemente, mas deixa de existir dentro dos lares, escolas e instituições. Os mitos e preconceitos inibem uma orientação que deveria ser feita de maneira natural e saudável.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Palavras-chave</strong>: Afetividade. Sexualidade. Deficiência Intelectual.</p> Alisson Gasparini da Silva ##submission.copyrightStatement## 2018-01-02 2018-01-02 8 2 A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO MERCADO DE TRABALHO, EM TRÊS LAGOAS/MS http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/107 <p><em>O presente artigo retrata a experiência da inclusão de pessoas com deficiências intelectuais pela APAE na cidade de Três Lagoas, no estado do Mato Grosso do Sul, ao longo do período de 2011 a 2016. O crescimento do numero de incluídos nesse período foi de 12 em 2011, para 24 em 2016,&nbsp; com aumento de uma mulher em 2011 para 8 em 2016. As indústrias que mais contratam são as medias e pequenas, sobretudo as têxteis, de alimentos e de calçados infantis. Apesar do processo de treinamento e inclusão na empresa ser difícil e moroso, os resultados são satisfatórios, pois um deficiente foi promovido nesse período e vários solicitaram mudança de postos de trabalho e de empresa, não apenas por aumento de salários e sim buscando melhor qualidade do ambiente de trabalho e consecutivo de vida.</em></p> <p><em>&nbsp;</em></p> <p><strong>PALAVRAS-CHAVE: </strong>deficiente intelectual – DI. Inclusão. Mercado do Trabalho. Qualidade de Vida.</p> Priscila Pereira Dias Silvana Cristina Fontanetti Sandra Regina Ferreira Toresan Gonzales ##submission.copyrightStatement## 2018-01-02 2018-01-02 8 2