Apae Ciência http://apaeciencia.org.br/index.php/revista <p>A Apae Ciência é uma publicação totalmente online, editada pela <a href="http://www.apaebrasil.org.br/" target="_blank" rel="noopener">Federação Nacional das Apaes</a> abrangendo áreas temáticas ligadas à inclusão social da pessoa com deficiência, com foco na deficiência intelectual e múltipla, em áreas como assistência social, educação, saúde e outras.</p> pt-BR <p>A revista se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, respeitando, porém, o estilo dos autores. As provas finais não serão enviadas aos autores.</p> <p>Os trabalhos publicados passam a ser propriedade da revista <em>Apae Ciência</em>.</p> <p>As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.</p><p> </p><p> </p><p> </p> institucional@apaebrasil.org.br (Erivaldo Fernandes Neto) Qui, 05 Ago 2021 00:00:00 +0000 OJS 3.1.1.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Editorial http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/240 Jorge Amaro de Souza Borges, Erenice Natalia Soares de Carvalho ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/240 Ter, 24 Ago 2021 00:00:00 +0000 ESTUDOS SOBRE INTERAÇÃO SOCIAL, ESCOLAR E FAMILIAR: CONTEXTOS E ESPAÇOS DE INCLUSÃO http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/238 <p>Caras leitoras e caros leitores,</p> <p>A Apae Brasil é uma das mais importantes instituições para a inclusão de pessoas com deficiência no Brasil. Como uma associação de apoio aos pais e amigos, a APAE colabora também com o desenvolvimento de pesquisas, visando a produção e divulgação de conhecimentos. O movimento apaeano, iniciado em 1954, demonstra o pioneirismo das relações com diversos segmentos da sociedade civil, contribuindo com o avanço das políticas públicas. Neste sentido, apresentamos um número especial com pesquisas realizadas por acadêmicas e acadêmicos no campo do desenvolvimento humano, as quais, com o apoio da revista, se tornaram acessíveis à população.</p> <p>Um aspecto a ser considerado, na perspectiva de uma ação pedagógica, é a práxis interdisciplinar presente, tanto na ação pedagógica, quanto na proposta educacional, que se pretende ser inclusiva. Os estudos relativos ao contexto familiar demonstram a necessidade também de um conhecimento, que relacione a vivência da deficiência no convívio social e familiar, para além da escola. Desta forma, as práticas interdisciplinares são necessárias para que a inclusão no trabalho, na escola e na família se torne fundamental.</p> <p>A deficiência tem sido discutida e legislada em vários países, indicando a internacionalização dos direitos fundamentais. Conforme Carlos Roberto Cury (2005, p.36) “O processo de internacionalização de direitos tem como afirmação positiva do direito à diferença, sob a égide de uma generalização em Lei”. Nesse sentido, destacamos as diversas convenções das quais o Brasil é signatário, tais como, a Declaração de Salamanca (1994) sobre os princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais, e a Convenção de Guatemala (2006), sobre os direitos das pessoas com deficiência. Caminhando no mesmo sentido da internacionalização, o Brasil criou a Lei n. 13.146/2015 denominada Estatuto da Pessoa com Deficiência. No que concerne às pesquisas aqui apresentadas, destacamos a colaboração de pesquisadores da Alemanha e de Moçambique.</p> <p>Os estudos apresentados são produtos de uma investigação qualitativa, que se caracterizam por estudos de caso. Para Atkinson (1998, p. 3), o estudo de caso é “uma forma narrativa, que se transforma em um método da pesquisa qualitativa, quando visa a captar, obter informações da essência subjetiva de uma vida inteira da pessoa”. Inúmeros foram os estudos que abordaram a história de vida ou história oral realizada por meio de narrativa dos indivíduos, que propiciam o desenvolvimento de conceitos importantes, para a realização de outras pesquisas, tais como o conceito de ciclo vital, genograma familiar, ecomapa e análise fílmica. Os contextos abordados nos estudos de caso, que compõem o corrente número, dizem respeito a questões relacionadas à inclusão escolar e a família.</p> <p>Esta edição especial da revista APAE CIÊNCIA só foi possível graças ao apoio obtido no processo 311386/2018-0 da chamada CNPq n. 09/2018. Nossos agradecimentos também à APAE do Distrito Federal, que facilitou a coleta dos dados. Convêm destacar a contribuição da professora Simone Roballo, coordenadora egressa do Uniceub, na organização da disciplina de produção de artigo e no incentivo aos alunos para trabalharem no referido projeto sobre pessoas com deficiência e suas famílias.</p> <p>Aos colegas integrantes dos artigos, constituindo uma rede de colaboradores, esperamos a continuidade de novas contribuições na área da deficiência, o que trará conhecimentos fomentadores das políticas públicas. Vale ressaltar a colaboração dos integrantes do comitê científico, que aceitaram a tarefa de avaliar os artigos a eles submetidos, a partir da ampla experiência em pesquisa. Agradecemos também à Federação Nacional das Apaes – FENAPAES e aos editores da revista APAE CIÊNCIA pela oportunidade da divulgação dos resultados oriundos da ampla pesquisa realizada.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Boa leitura!</p> Júlia Sursis Nobre Ferro Bucher-Maluschke, Jonas Carvalho e Silva ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/238 Qui, 05 Ago 2021 00:00:00 +0000 O IMPACTO DA DEFICIÊNCIA ADQUIRIDA NO MICROSSISTEMA FAMILIAR http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/225 <p>Este trabalho analisa questões referentes ao impacto da deficiência adquirida de um filho/irmão no microssistema familiar. O objetivo do presente estudo foi investigar os impactos da deficiência adquirida de um filho/irmão no microssistema familiar na relação conjugal, paternal e fraternal, pois se acredita que conhecer a estrutura e a dinâmica dessas famílias contribuirá para a melhor compreensão dessa realidade e, com isso, se permitirá a formulação de políticas públicas que possam atuar adequadamente no enfrentamento das dificuldades sentidas por genitores e irmãos no cuidado com esse filho/irmão com deficiência. De abordagem qualitativa, o estudo exploratório contou com a participação de duas famílias, que têm um filho (a)/irmão(a) com deficiência adquirida. Os principais resultados apontam para o sofrimento dos familiares, havendo a preocupação desses familiares quanto ao futuro do filho/irmão com deficiência adquirida, sendo isso relatado de forma positiva. Novas pesquisas se fazem necessárias, a fim de que se possa ampliar a compreensão do tema e se possa oferecer maior gama de recursos para o suporte aos pais e irmãos de filho/irmão com deficiência adquirida.</p> Antônio Fernando Alves Leal Neri, Júlia Sursis Nobre Ferro Bucher-Maluschke, Sérgio Sampaio Bezerra ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/225 Seg, 02 Ago 2021 00:00:00 +0000 A AVALIAÇÃO DA RESILIÊNCIA E OS FATORES DE VULNERABILIDADE NAS MÃES DE CRIANÇAS SURDAS http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/226 <p>É amplamente conhecido que a maternidade implica em uma série de mudanças, tanto físicas como sociais e emocionais, que podem ser potencializadas se tratando da gestação de uma criança surda. Tendo em vista esse pressuposto, a resiliência materna possui um papel fundamental nessa experiência. O presente estudo tem como objetivo, pela metodologia qualitativa, identificar os fatores que estão ligados à resiliência materna e às suas vulnerabilidades nas mães de crianças surdas de até 10 anos. Como resultado principal deste estudo, notou-se a relação entre os sentimentos tidos como negativos e bons níveis de resiliência. Em relação à vulnerabilidade, identificou-se três fatores negativos: a renda familiar não proporcional ao nível de escolaridade das mães, a ausência de atendimento emocional, principalmente no momento do diagnóstico e a restrição no acesso às informações importantes sobre a deficiência dos filhos por parte dos profissionais de saúde. Por fim, ressalta-se tanto o afastamento do poder público – com a ausência de programas de proteção social a essas famílias – quanto a ausência de estudos sobre essa maternidade. Vê-se, assim, a necessidade de realização de outras pesquisas tanto de caráter quantitativo, com amostras maiores, quanto de caráter qualitativo, que possam fortalecer as hipóteses, bem como fomentar novas ações de cuidado com essa população.</p> Bruna Setin Januário, Maria Geralda Viana Heleno, Miria Benincasa Gomes ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/226 Qua, 04 Ago 2021 00:00:00 +0000 O PAPEL DA FAMÍLIA NA CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/227 <p>Este artigo resulta de uma pesquisa que investigou o papel da família na configuração da autonomia da pessoa com deficiência intelectual. Discute-se a importância do desenvolvimento de processos na sociedade, que possibilitem ver a pessoa com deficiência para além do seu diagnóstico, como um indivíduo com as suas potencialidades e capaz de se desenvolver. O objetivo da pesquisa foi analisar os diferentes sistemas que a pessoa vive, relaciona-se e que impactam na dinâmica de vida do indivíduo e da família. Com base nos trabalhos de Bronfenbrenner sobre o desenvolvimento humano, realizou-se a análise da entrevista de pesquisa. Este estudo evidenciou que a estimulação física contribuiu para que a pessoa com deficiência intelectual exerça outros papéis além daqueles do núcleo familiar. Da mesma forma, percebe-se que a maneira como a sociedade representa a deficiência impacta no modo como a família a compreende. Conclui-se que a família pode ter efeito negativo ou positivo na construção da autonomia da pessoa com deficiência.</p> Edson Júnior Silva da Cruz ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/227 Qua, 04 Ago 2021 00:00:00 +0000 A FAMÍLIA COM FILHO NÃO BIOLÓGICO NO CONTEXTO DA DEFICIÊNCIA INTELECTUAL http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/228 <p>A família, primeiro grupo de socialização do indivíduo, tem sido bastante estudada nos casos de deficiência intelectual, tendo em vista a sua responsabilidade frente à promoção do desenvolvimento da criança e a preparação para a inserção no mundo social. Entretanto, não há muitos estudos acerca de famílias com filhos deficientes intelectuais não-biológicos, por tutela ou curatela, e de como se estrutura a dinâmica familiar após a entrada do novo integrante. É exatamente sobre esse tema que o presente estudo visa se debruçar, tendo como base a teoria sistêmica. O delineamento utilizado para a realização deste trabalho é a pesquisa qualitativa, descritiva e exploratória, a partir do estudo de caso. Os instrumentos utilizados foram: entrevista semiestruturada; Ecomapa; Genograma e linha do Ciclo Vital. Para a análise dos dados foi utilizada a técnica de análise de conteúdo. Percebeu-se que a família conseguiu superar as adversidades frente ao contexto da deficiência intelectual, pois criou um ambiente favorável ao desenvolvimento das habilidades do integrante na situação de deficiência. A família pôde inseri-la, de forma favorável, tanto no meio social quanto no mercado de trabalho, contribuindo para a desenvoltura da sua autonomia, a ponto de apresentar certa independência dos familiares e realizar diversas atividades sozinha.</p> Heine Cristine Ganim Pereira da Silva, Janari da Silva Pedroso, Juliana Alves Dantas Ferro Bucher ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/228 Qua, 04 Ago 2021 00:00:00 +0000 FILHA IDOSA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E CUIDADOS PATERNOS http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/229 <p>A longevidade humana é uma realidade no mundo todo e tem propiciado, também, que pessoas com Deficiência Intelectual (DI) envelheçam, devido à melhoria das condições de vida e aos avanços da assistência médica e social. Portanto, não é incomum encontrar pais idosos cuidando de filhos idosos com DI. Este artigo tem como objetivo geral compreender as vivências e sentimentos de um genitor idoso que cuida de uma filha com DI.&nbsp; Especificamente, almejou-se: a) compreender o relacionamento existente na família no contexto da DI; b) analisar o suporte social oferecido à família e c) pontuar as características do cuidado de uma pessoa com DI na velhice. Participou do estudo uma díade composta por um pai com 97 anos e a sua filha de 62 anos. Foram utilizados os instrumentos: genograma, ciclo vital da família, ecomapa e uma entrevista com roteiro. Os dados foram analisados segundo os passos propostos por Creswell. Pode-se concluir que: a) o diagnóstico da DI acarretou sentimentos de choque aos pais, exigindo uma reorganização familiar; b) a busca imediata por tratamento e conhecimentos sobre a DI facilitou a adaptação da família; c) houve indicadores de que existe união e colaboração entre os membros da família; d) além dessa, a díade pai e filha conta com o apoio da APAE e da igreja que frequentam e e) apesar da idade avançada, o cuidador se mostrou funcional e satisfeito com o cuidado que prestava à filha.&nbsp;</p> Deusivania Vieira da S. Falcão, Vera Gloria de Britto, Cristina Maria de Sousa Brito Dias ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/229 Qua, 04 Ago 2021 18:36:26 +0000 A ADAPTAÇÃO SOCIAL NO AMBIENTE ESCOLAR DA CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/230 <p>Como os métodos práticos de adaptação social podem favorecer a inclusão de deficientes intelectuais dentro do ambiente escolar? Este estudo de caso teve por objetivo explorar as experiências de adaptação social de uma criança com deficiência intelectual, que podem ser pertinentes para propiciar e estimular uma educação inclusiva nas escolas de ensino regular. Foi realizada uma entrevista com uma criança de 10 anos de idade, chamada Alice, que possui o diagnóstico de Síndrome de Down. O método de trabalho realizado utilizou como delineamento a pesquisa qualitativa descritiva exploratória sob a perspectiva da Bardin. Foram utilizados métodos lúdicos (gravuras e invenção de personagem) para facilitar a comunicação com a criança. Os instrumentos aplicados foram: questionário sociodemográfico, genograma e ecomapa. Os resultados indicaram que Alice consegue acompanhar positivamente o ritmo de aprendizado da turma, porém no âmbito social ainda carece um melhor desenvolvimento, em razão da ausência de métodos inclusivos na sua escola.</p> Jonas Carvalho e Silva, Jacob Xerinda, Dara Mendonça Vidal ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/230 Qua, 04 Ago 2021 18:46:50 +0000 A CARACTERIZAÇÃO DA EXPERIÊNCIA DA CRIANÇA NA INCLUSÃO ESCOLAR: A IMPORTÂNCIA DO MEIO SOCIAL http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/232 <p>O presente artigo tem como objetivo apresentar uma breve análise da experiência de uma criança no contexto da escola, buscando caracterizar aspectos importantes da inclusão escolar. Foi realizado um estudo qualitativo e descritivo com uma criança com Síndrome de Down, a partir da realização de uma entrevista conduzida pela pesquisadora, utilizando figuras ilustrativas e perguntas que estimulassem a fala da criança. Os resultados indicaram a centralidade dos relacionamentos humanos para o desenvolvimento da criança e da convivência no momento inicial da inclusão.</p> Luciana de Oliveira Campolina, Eveline Braga Babilonia Faria dos Santos, Marília Carvalho e Silva ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/232 Qua, 04 Ago 2021 00:00:00 +0000 A VIVÊNCIA NA INCLUSÃO ESCOLAR NA PERSPECTIVA DA ABORDAGEM BIOECOLÓGICA DE BRONFENBRENNER http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/233 <p>Este estudo compreende as relações estabelecidas no contexto escolar vivenciados pelo indivíduo com Síndrome de Down, com enfoque na socialização e no processo de inclusão. O presente estudo teve como objetivo conhecer as possíveis dificuldades enfrentadas por uma criança com Síndrome de Down no contexto escolar e propor contribuições, visando a sua inclusão nesse espaço, levando em consideração o paradigma da Educação Inclusiva. Esta pesquisa se fundamentou na abordagem qualitativa, descritiva, exploratória e foi realizada por um estudo de caso. Os resultados foram analisados à luz da abordagem Bioecológica Desenvolvimento Humano de Urie Bronfenbrenner. Os instrumentos utilizados foram a Construção de história por imagens indutoras e Pesquisa Semiestruturada. Os resultados obtidos apontam para a complexidade e a importância dos múltiplos contextos que envolvem o desenvolvimento social do indivíduo.</p> Daniela Castro dos Reis, Rayssa Lorena Barros de Aguiar Pontes, Silvia Maués Santos Rodrigues, Marilene Alves Dantas ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/233 Qua, 04 Ago 2021 00:00:00 +0000 A INCLUSÃO ESCOLAR: AUTOPERCEPÇÃO DE UMA ALUNA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/234 <p>O objetivo deste estudo foi conhecer a percepção que uma aluna com deficiência intelectual tem de si no ambiente de uma escola de ensino regular, a partir das experiências concretas vividas e das relações estabelecidas com professores e colegas naquele espaço. Para tanto, foi realizado um estudo de caso em uma escola pública do Distrito Federal. A participante da pesquisa foi uma menina de 11 anos, que frequenta a 5ª série do ensino fundamental. Foram utilizadas as técnicas de criação de histórias, com figuras indutoras e entrevista semiestruturada. As análises tiveram como base a Epistemologia Qualitativa de Gonzales Rey, por permitir compreender processos subjetivos que não estão acessíveis à experiência na relação com o sujeito pesquisado. Os resultados sugerem uma autopercepção negativa em relação ao aprendizado e ao relacionamento com os colegas, reforçando a necessidade de considerar as suas percepções para aprimorar o processo de inclusão escolar, de modo que contribua de uma forma mais ampla no desenvolvimento psicossocial da criança com DI.</p> Rosa Maria Werner Sulzbach, Júlia Sursis Nobre Ferro Bucher-Maluschke, Maria Aparecida Penso ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/234 Qui, 05 Ago 2021 00:00:00 +0000 A INSERÇÃO ESCOLAR NA PERSPECTIVA DO FILHO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E A SUA MÃE http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/235 <p>O objetivo deste estudo foi compreender os múltiplos contextos e as perspectivas do sujeito com deficiência intelectual e da sua família, no que se refere à inclusão escolar, analisando os impactos da inclusão escolar e da deficiência intelectual na vida. Adotou-se a perspectiva Bioecológica de Bronfenbrenner na análise do Microssistema, Mesossistema, Exossistema, Macrossistema e Cronossistema. O método empregado foi o qualitativo, por um estudo de caso. Participaram da pesquisa um homem de 19 anos de idade, com diagnóstico de Deficiência Intelectual Moderada, frequentador do 3º ano do ensino médio do ensino regular em uma escola pública no Distrito Federal, e a sua mãe. Os instrumentos utilizados foram: o Ciclo de Vida da Família; Ecomapa; Genograma; Construção de História pelas Imagens Indutoras; duas entrevistas com questões semiestruturadas e um questionário de pais. Os resultados mostram as dificuldades encontradas pelo participante na inclusão em uma escola regular e reforçam que considerar as experiências e as percepções do sujeito e da sua família acerca da inclusão escolar contribuem para o aprimoramento do processo, assim como beneficiam o aprendizado e a superação da segregação de pessoas com deficiência nesse ambiente.</p> Luiza Mônica Assis da Silva, Christoph de Oliveira Käppler, Júlia Oliveira Teixeira, Janaina Moreira Pedroso ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/235 Qui, 05 Ago 2021 00:00:00 +0000 A DISLEXIA NO CONTEXTO FAMILIAR E ESCOLAR: UMA ANÁLISE FÍLMICA http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/236 <p>O objetivo geral deste estudo foi identificar os múltiplos contextos nos quais se manifesta a deslexia e o papel inclusivo do professor, por uma análise do filme indiano &nbsp;“Como Estrelas na Terra, toda criança é especial” (2007). O estudo utilizou como instrumentos o genograma, ecomapa, roteiro para análise e descrição de cenas importantes, que auxiliaram na geração das categorias evidenciadas. Foi possível conhecer mais sobre a dislexia e os seus aspectos gerais relatados na literatura. Verificou-se, mais precisamente, as repercussões desse transtorno na família e nas amizades. Contudo, ainda é escassa a literatura sobre o tema, especialmente no Brasil, o que colabora não só para a negligência às demandas que justificam esse atendimento especializado no país, como também para a frustração escolar e a aflição emocional dos disléxicos e dos seus familiares. Reitera-se, a partir das conclusões do estudo, a importância de levar os pais e os professores a aprenderem a lidar com as crianças que sofrem de deslexia, procurando reconhecê-las como pessoas que são distintas uma das outras e que possuem competências próprias.</p> Jonas Carvalho e Silva, Mayara Rodrigues Almeida, Lilia Ieda Chaves Cavalcante, Ana Cristina Ferro Roque ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/236 Qui, 05 Ago 2021 00:00:00 +0000 Lista dos manuscritos http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/239 <p>Relação dos artigos da edição nº 15 da revista Apae Ciência&nbsp;</p> Júlia Sursis Nobre Ferro Bucher-Maluschke, Jonas Carvalho e Silva ##submission.copyrightStatement## http://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/239 Qui, 05 Ago 2021 00:00:00 +0000