Apae Ciência https://apaeciencia.org.br/index.php/revista <p>A Apae Ciência é uma publicação totalmente online, editada pela <a href="http://www.apaebrasil.org.br/" target="_blank" rel="noopener">Federação Nacional das Apaes</a> abrangendo áreas temáticas ligadas à inclusão social da pessoa com deficiência, com foco na deficiência intelectual e múltipla, em áreas como assistência social, educação, saúde e outras.</p> pt-BR <p>A revista se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, respeitando, porém, o estilo dos autores. As provas finais não serão enviadas aos autores.</p> <p>Os trabalhos publicados passam a ser propriedade da revista <em>Apae Ciência</em>.</p> <p>As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.</p><p> </p><p> </p><p> </p> institucional@apaebrasil.org.br (Erivaldo Fernandes Neto) pesquisa@apaebrasil.org.br (Laura Valle Gontijo) Fri, 05 Aug 2022 07:47:15 -0700 OJS 3.3.0.8 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 INVESTIGAÇÃO DE SINAIS DE RISCO DO TRANSTORNO DO ESPECTRO DO AUTISMO EM BEBÊS USUÁRIOS DE UM CENTRO ESPECIALIZADO EM REABILITAÇÃO https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/216 <p>O Transtorno do Espectro do Autismo é um dos desfechos relevantes quando se trata de sofrimento psíquico na infância. Um grande desafio atual é a detecção dos sinais de risco desse transtorno em bebês e a proposta de intervenção adequada, logo que seja feita a detecção. O presente estudo teve por objetivo investigar os sinais de risco do Transtorno do Espectro do Autismo em bebês usuários de um Centro Especializado em Reabilitação Física, Visual, Intelectual e Autismo. Trata-se de um estudo transversal cuja amostra foi composta por 18 bebês. O critério de inclusão foi ter idade de 4 meses mais ou menos 29 dias, considerando a idade corrigida para os nascidos pré-termo e a variável de interesse do estudo foi sinais de risco para o Transtorno do Espectro Autista. Dos 18 bebês avaliados, apenas um (5,5%) apresentou sinais de risco para o Transtorno do Espectro Autista, com pontuação três no protocolo PREAUT-Olliac, e dois (11%) apresentaram pontuação intermediária. Com a pandemia da COVID-19 a prática de avaliação dos bebês teve de ser interrompida em grande parte do ano de 2020, comprometendo a reavaliação de alguns bebês e a avaliação de novos. Apesar de ser um desfecho pouco frequente, investigá-lo se mostrou essencial visto que os poucos bebês encontrados têm se beneficiado de um suporte inicial e intervenção adequada. Com isso, considera-se de extrema relevância o trabalho de detecção de sinais de risco do Transtorno do Espectro do Autismo em Centros Especializados de Reabilitação.</p> Érika de Freitas Araújo, Thais Rocha Tarabal, Dulcemar Santos Leão Lopes, Mariana Cristina Barbosa Silva, Erika Parlato Oliveira Copyright (c) 2022 Érika de Freitas Araújo, Thais Rocha Tarabal, Dulcemar Santos Leão Lopes, Mariana Cristina Barbosa Silva, Erika Parlato Oliveira http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/216 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 A EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA: UMA PERSPECTIVA A PARTIR DA FORMAÇÃO DOCENTE https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/162 <p>A educação inclusiva no Brasil inicia-se em na época do império com a criação dos institutos reconhecidos até hoje. O Imperial Instituto dos Meninos Cegos, em 1854, atual Instituto Benjamin Constant – IBC e o Instituto dos Surdos Mudos, em 1857, hoje denominado Instituto Nacional da Educação dos Surdos – INES, ambos na cidade do Rio de Janeiro, antiga Capital federal. Este trabalho possui como foco a temática educação inclusiva na formação dos docentes das disciplinas de ciências e Biologia. Apresentando como objetivo analisar a pesquisa qualitativa, utilizando artigos para a investigação do tema proposto. O estudo de artigos através da análise qualitativa expressa não apenas diretrizes para a educação, mas articulam interesses, projetam políticas e produzem intervenções sociais. Quando os alunos possuem necessidades especiais devem ser analisadas estratégias de como abordar a disciplina de Ciência/Biologia, pois elas perfazem toda a sua vida, ajudando assim o aluno a ter uma melhor qualidade de vida. O tema abordado neste artigo apresenta-se como um tema que deve ser explorado. Dentre os diversos autores analisados na pesquisa qualitativa é possível identificar que a educação inclusiva, precisa ser reformulada.</p> Dryelle Rodrigues de Oliveira Copyright (c) 2022 Dryelle Rodrigues de Oliveira http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/162 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 GUIA PRÁTICO DAS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES MOTORAS NO AUTISMO https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/186 <p>Este artigo tem como objetivo apresentar de forma organizada e sistematizada as principais e mais comuns alterações motoras encontradas em pessoas com diagnóstico de Transtorno do Espectro do Autismo. Ao longo deste artigo, pretendemos adentrar nos fundamentos que pleiteiam a condição autista, colaborando para o enriquecimento do conhecimento da importância da avaliação fisioterapêutica na pessoa com autismo. Este trabalho foi realizado a partir de um levantamento bibliográfico que foi realizado através das bases de dados Pubmed, SCIELO e PEDRO utilizado para sua criação, artigos publicados na íntegra e com acesso livre em inglês e/ou português e artigos clássicos a partir de 2008 a 2019 sendo &nbsp;escolhidos apenas textos que citavam algum tipo de transtorno motor em crianças com TEA. É nossa intenção contribuir e facilitar o entendimento da importância da fisioterapia neste tratamento, possibilitando a esses profissionais um novo olhar sobre a condição autista.</p> Artur Lopes, Marisa Brito de Souza, Eduardo Guisi Victor Copyright (c) 2022 Artur Lopes, Marisa Brito de Souza, Eduardo Guisi Victor http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/186 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 INCLUSÃO ESCOLAR E O TRANSTORNO DO ESPECTRO DO AUTISMO https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/123 <p>O presente artigo traz um recorte da revisão de literatura de uma pesquisa desenvolvida no programa de Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica – ProfEPT do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás. O estudo teórico parte da promulgação da Lei 12.764/12, Lei Berenice Piana, homologada em 27 de dezembro de 2012 e tem como objetivo fazer o estado da arte sobre o que tem sido investigado sobre autismo e educação nos últimos cinco anos de publicação científica. O levantamento dos dados foi realizado em três bases científicas: Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd). Os descritores utilizados foram autismo e educação; autismo e ensino; autismo e inclusão; autismo e emancipação; autismo e omnilateralidade; autismo e educação integrada; e, autismo e ensino integrado. Das 150 publicações encontradas, 64 artigos, que se adequavam com os critérios de inclusão, foram selecionados. O estudo revela a necessidade de capacitação de professor/educadores para autistas e que a educação da pessoa com autismo se faz a partir de metodologias de ensino e pedagógicas que possibilitem contribuições de múltiplas áreas do conhecimento.</p> Glaucia Tomaz Marques Pereira, Wanderley Azevedo de Brito Copyright (c) 2022 Glaucia Tomaz Marques Pereira, Wanderley Azevedo de Brito http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/123 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 ENVELHECIMENTO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: PRODUÇÕES DAS REVISTAS APAE CIÊNCIA E DEFICIÊNCIA INTELECTUAL https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/177 <p>O envelhecimento de pessoas com deficiência intelectual é um fenômeno pouco estudado na literatura nacional. Pesquisas existentes na área reconhecem que o envelhecimento desse público acontece mais precocemente em relação as pessoas sem deficiência. Investigou-se nesse artigo as produções sobre o tema “envelhecimento e pessoas com deficiência intelectual” e como este vem sendo abordado, a partir de fundamentação teórica de uma pesquisa de Iniciação Científica realizada pelas autoras, nas revistas <em>APAE Ciência</em> e&nbsp; <em>Revista Deficiência Intelectual. </em>Como resultado, foram encontradas 14 publicações dentre os anos de 2011 até 2015. Os estudos indicam a falta de políticas públicas que asseguram a qualidade de vida dessa população, além da necessidade de serem ofertados serviços para a garantia de uma melhor qualidade de vida na velhice.</p> Gabriela Boniholi, Fátima Elisabeth Denari Copyright (c) 2022 Gabriela Boniholi, Fátima Elisabeth Denari http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/177 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 INTELIGÊNCIA FLUIDA E CRISTALIZADA, INTERLIGADA A DEFICIÊNCIA INTELECTUAL – TRANSTORNO DO DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/339 <p>O presente artigo se caracteriza como uma revisão bibliográfica dos principais conceitos que envolvem a Inteligência Fluida e Cristalizada, interligada às habilidades cognitivas da Pessoa com Deficiência Intelectual. Com base em conceitos que buscam aprofundar o conhecimento Neuropsicopedagogico, e ao estudar autores que abordam o tema sobre inteligência, é perceptível que essa temática possui ampla abordagem e englobe definições de cunho acadêmico, bem como relacionadas ao senso comum, tendo em vista que o termo é habitualmente utilizado sem relação conceitual concreta. Mediante o exposto, o conceito de inteligência que será abordado neste artigo se encontra embasado, teoricamente, na obra Psicologia Cognitiva (STERNBERG, 2008). Pelos estudos de outros autores, esta pesquisa prioriza entrelaçar as habilidades cognitivas preservadas ou em defasagem na Pessoa com Deficiência Intelectual. Ademais, para a consolidação e o melhor conhecimento sobre o enlace que envolve a temática abordada, torna-se fundamental o apoio teórico no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5, 2014) e na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF, 2004).</p> Janaína Soares de Oliveira Copyright (c) 2022 Janaína Soares de Oliveira http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/339 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 MUDANÇAS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL NO ESTADO DO PARANÁ: PENSAMENTOS E REFLEXÕES DE PROFESSORES DE UMA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL. https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/175 <p>A Educação Especial no Estado do Paraná sofreu mudanças no ano de 2011 devido a uma Resolução da Secretaria de Educação do Estado. A mudança na nomenclatura das instituições especiais modificou os atendimentos, passando a fazer parte do processo da educação básica. Esta alteração se iniciou após um pedido efetuado pelos gestores destas instituições afirmando que o trabalho dentro da instituição atendia todos os objetivos da educação básica. O principal objetivo do trabalho foi verificar as mudanças ocorridas em uma Escola de Educação Especial após publicação da Resolução 3600/2011 GS/SEED. Para tanto foram realizadas entrevistas com cinco professores que participaram desta mudança. Após as respostas dos professores entendemos que o trabalho dentro da instituição continua o mesmo, alterando em algumas turmas a preocupação apenas com o processo educacional dos alunos deixando de lado o lado assistencialista da instituição.</p> Paulino Hykavei Junior, Gilmar de Carvalho Cruz Copyright (c) 2022 Paulino Hykavei Junior, Gilmar de Carvalho Cruz http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/175 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 INSTRUMENTALIDADE DO SERVIÇO SOCIAL NA AVALIAÇÃO DA DEFICIÊNCIA https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/337 <p>Este artigo analisa as dimensões ético-políticas e teórico-metodológicas da avaliação da deficiência realizada por assistentes sociais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para as políticas de Previdência e Assistência Social, em uma análise da instrumentalidade do Serviço Social nessa avaliação. Com abordagem biopsicossocial, a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF), da OMS, inova ao apreender e proceder a avaliações relacionadas aos contextos e condições de saúde. Por sua vez, a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU, de 2006, internalizada no Brasil como emenda constitucional em 2009, tem um conceito interacional de deficiência semelhante ao da CIF, ao partir das características corporais, sensoriais e mentais relacionadas às barreiras. O Brasil adota a CIF desde 2007 na Assistência Social, no reconhecimento do direito ao Benefício de Prestação Continuada, e desde 2014 na Previdência, na avaliação dos requerentes com deficiência à aposentadoria da Lei Complementar nº 142, de 2013. Por uma análise qualitativa e reflexivo-crítica da institucionalidade das duas políticas no uso da CIF, o texto argumenta que a instrumentalidade do Serviço Social tem relação direta com as exigências necessárias à avaliação dos domínios de Fatores Ambientais e Atividades e Participação da CIF, reforçando a compreensão de deficiência como restrição de participação social. Isso auxilia na internalização dos princípios e diretrizes do conceito de funcionalidade na sua apreensão conjunta com a particularidade das pessoas com deficiência, sobretudo, as manifestações da questão social experimentadas por elas, objeto de intervenção dos assistentes sociais.</p> Wederson Rufino dos Santos Copyright (c) 2022 Wederson Rufino dos Santos http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/337 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 EDITORIAL https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/274 Jorge Amaro de Souza Borges, Erenice Natalia Soares de Carvalho Copyright (c) 2021 Apae Ciência http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/274 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 A TERMINALIDADE DO TRATAMENTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA NO CENTRO ESPECIALIZADO DE REABILITAÇÃO INTELECTUAL: CAMINHOS PARA A FUNCIONALIDADE E A INCLUSÃO SOCIAL https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/338 <p>A alta no programa de reabilitação intelectual é um assunto que emerge muitas reflexões. Nos Centros Especializados de Reabilitação, o desfecho de um tratamento é uma prática que deve considerar os princípios ético-filosóficos, a condição de saúde, a política social, a inclusão total e a qualidade de vida do sujeito. Nesse processo são necessários procedimentos que tenham como base a compreensão das potencialidades e da participação social, reduzindo as barreiras que podem impedir a aquisição de autonomia da pessoa com deficiência. Portanto, este manuscrito apresenta um relato de experiência da construção do processo de alta no Centro Especializado de Reabilitação Intelectual da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Anápolis. De igual modo, propõe-se um modelo baseado na tríade - Classificação Internacional de Funcionalidade, Projeto Terapêutico Singular e Programas de Reabilitação, refletindo sobre às necessidades do sujeito e a sua funcionalidade para a inclusão social. Como resultado, tem-se que a alta em serviços de atenção à saúde da pessoa com deficiência é possível quando considera a unicidade do indivíduo e a aquisição máxima das suas potencialidades, amparando e preparando os cuidadores para a jornada da vida.</p> Glaucia Tomaz Marques Pereira, Paulyane Cristine da Silva Oliveira Copyright (c) 2022 Glaucia Tomaz Marques Pereira, Paulyane Cristine da Silva Oliveira http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/338 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700 ALFABETIZAÇÃO MEDIADA PELA INFORMÁTICA: UM RELATO DA EXPERIÊNCIA VIVIDA POR UMA DOCENTE COM DEFICIÊNCIA VISUAL NO ENSINO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/16 <p>Este artigo traz algumas possibilidades de letramento de indivíduos com deficiência intelectual, com o ensino mediado pelo uso das ferramentas do computador. Compreendendo o processo de ensino como parte da formação do cidadão, e buscando novas formas de instrumentalizar alunos deficientes intelectuais, . Relatando a experiência de uma docente com deficiência visual, idealizadora do projeto “Alfabetizando através da informática” da APAE de Guarapari, em suas práticas de ensino. Neste artigo, os progressos de um dos alunos da Instituição, são descritos para ilustrar o trabalho realizado. Os resultados obtidos demonstram a real possibilidade de evolução na escrita funcional, por indivíduos com deficiência intelectual, mesmo que apresentando um nível grave de comprometimento.</p> Luziana Goltara, Amanda Barbosa Copyright (c) 2022 Luziana Goltara, Amanda Barbosa http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/ https://apaeciencia.org.br/index.php/revista/article/view/16 Mon, 27 Jun 2022 00:00:00 -0700